The Walking Dead (s08e06/07) – The King, the widow and Rick / Time for After

Post duplo porque semana passada não teve review de The Walking Dead, mas é importante falarmos tudo que aconteceu nesses dois últimos episódios, até porque as coisas estão conectadas. A dinâmica de liderança que sempre conhecemos está mudando e isso pode ser muito bom. Há algum tempo os fãs reclamam sobre The Walking Dead, de como a trama vem sendo conduzida. Quem sabe essa mudança de líder ou até mesmo apenas a descentralização da liderança não dê um chacoalhão nas coisas.

*Contém Spoilers

O que vimos de Yeh! no sexto episódio:

Michonne (finalmente) e Rosita que embora tenham se colocado em uma situação perigosa no encontro com os dois Salvadores que pretendiam passar com um trio elétrico para tirar os zumbis do chão, conseguiram sem querer ajudar a manter o plano de Rick nos trilhos. Foi um pouco amador por parte da Michonne, mas ela está machuca, abalada, então damos um desconto. Tivemos também o reencontro de Carl com Siddiq, um personagem que aparentemente será de grande valia para o grupo que irá se formar quando essa guerra acabar. Carl mostrou que já passou por bastante coisa e aprendeu com algumas delas, que não ficará escondido na sombra do papai delegado a vida inteira, o que é extremamente condizente com tudo que o garoto já passou. Não faz sentido termos um mocinho fragilzinho que se esconde nas barbas do papis, sendo que o rapaz já passou por muitas coisas e nós acompanhamos bem de pertinho. Outra coisa legal foi ver o pequeno Henry, mesmo com tudo que aconteceu com seus companheiros do Reino, querendo lutar, fazer a diferença. Lógico que Carol falou que não e ele não obedeceu, óbvio. Lembram do Carl mais novinho?

Coisas bleh! do sexto episódio:

Toda aquela situação de Hilltop que já está enchendo o saquinho. Um monte de gente lá que poderia estar fazendo coisas mais úteis e estão lá discutindo sobre os prisioneiros ainda. Prisioneiro é prisioneiro, se não vai pra cadeira elétrica tem que ser alimentado, sim e pronto. Parece que esse povo nunca viu como funciona uma prisão. Fora o blablabla de Aaron falando pra Maggie que “still has moments” quando pensa no Erik, que ele ainda está vivo, essas coisas todas. Caramba, lógico que você ainda pensa isso tudo, sente isso tudo, não faz nem 72h que o rapaz morreu. Luto, essa palavra tão desconhecida. Aff! Tem também Ezequiel que tá parecendo um bebê chorão. Tá certo o cara ficou assustado, o mundo de fantasia virou realidade, mas tá na hora de reagir e ajudar. Afinal, como sempre diz minha mãe: muito ajuda quem não atrapalha. Essa auto piedade só está atrapalhando ainda mais o povo do Reino, de nada ajuda. E ainda por cima vem de novo com o “Yet I smile”. Só não vou escrever o que eu quero que você faça com esse sorriso porque ainda te curto, cara. E por fim o pior dos piores momentos – Rick e o povo do lixão. Sério, Rick? Sério, mesmo???? Apapu, né? Aquele povo é chato, traiçoeiro e totalmente sem nexo. Vai lá o bobalhão rastejar por ajuda e fingindo estar por cima. Sem comentário, Sr. Rick Grimes.

Apesar das trapalhadas de Rick ter ido até o povo do lixão e acabar preso semi nu, vimos no sétimo episódio que ele conseguiu dar a volta por cima e trazer aquele povo chato e besta pro lado deles. Enquanto isso, tivemos Eugene se auto declarando Negan total. Aliás tivemos bastante de Eugene nesse episódio. Volto a dizer o que já disse aqui em algum momento, tipos como ele são os piores tipos possíveis. Pessoas que só pensam em si, nunca tomam partido, são extremamente inteligentes e total desconexão com o outro são aqueles que ninguém leva a sério, ninguém acha que representam um grande perigo e quando veem, boom! No entanto dessa vez Eugene realmente acha que Negan pode o proteger mais que qualquer outro e está totalmente na do cara, sem contar que Negan tem muita lábia e sabe um pouco “ler” as pessoas, já sacou qualé do geniozinho e fala/age exatamente para conquistá-lo. Aliás isso é algo que falta muito no Rick, esse feeling sobre as pessoas e como torná-las suas aliadas de forma natural. Talvez ele já teve isso, mas ao longo dos anos (temporadas) ele foi perdendo, não só isso, mas como ele praticamente se perdeu dele mesmo. Talvez um dos motivos de Daryl ter desencanado do amigo de longa jornada e resolvido agir por conta, foi justamente esse. Falando em Daryl, vimos que ele, Rosita, Michonne e Tara estavam planejando encarar os Salvadores sozinhos e encontraram com Morgan e mais alguns figurantes que não apareceram para ajudar. Bem, Michonne e Rosita desistiram, mas os demais foram adiante. Não sabemos exatamente até onde conseguiram obter êxito nessa empreitada, vimos apenas Rick chegar com o pessoal do lixão pra continuar com o plano e descobrindo que um caminhão já tinha aberto um buraco na parede e não restava mais nenhum zumbi do lado de fora.

O próximo episódio será o último antes do intervalo de final de ano, depois só em 11 de fevereiro de 2018. Logicamente teremos um episódio bem tenso e com aquele final de deixar roendo a unha. A coisa está andando, talvez não seja uma excelente primeira parte de temporada, mas está razoavelmente boa até o momento. Agora nos resta esperar e torcer para que o mid-season-finale.

Notinhas

  • Carol ainda não está em sua melhor forma, mas acredito que podemos ter esperanças;
  • Esse povo do lixão ainda não faz nenhum sentido. Cadê povo de Oceanside?
  • Rosita matando o Salvador com um foguete foi bem legal;
  • Eugene não dedurou Dwight, por enquanto. Estará ele esperando uma oportunidade onde possa tirar alguma vantagem ou ainda resta algum resquício de gratidão pelos ex colegas de viagem, como ele mesmo gosta de chamar? Aposto na primeira opção;
  • Negan bradou que todos podem morrer, menos ele, que não morre. Será? Teremos um Negan derrotado, mas vivo e “procurado”? É uma opção válida.

 

Deixe uma resposta

Please use your real name instead of you company name or keyword spam.