The Walking Dead – The Damned (s08e02)

Explosões aqui e acolá, invasão, mortes, ameaças, bebê fofinho e pessoas ressurgindo dos mortos (não literalmente), foi o que tivemos no segundo episódio da oitava temporada de The Walking Dead. Ação predominou em todo episódio, assim como as lições de vida. Matar ou não matar, quem somos e porque viemos, eis a questão. Sorrir e fingir até que se torne realidade.

The Walking Dead, como não canso de falar, é um show muito além de mortos vivos e mocinhos vs vilões, mas sim sobre sobrevivência da raça humana e não somente no quesito físico, mas muito mais moral. Como construir uma nova era, um novo mundo para as futuras gerações. Não basta apenas plantar, colher e comer. É preciso lidar com as diversas facetas da personalidade e saber dosar as emoções. Nem sempre o seriado é feliz na forma como ele nos conduz a isso, afinal, ninguém assiste algo pós apocalíptico com zumbis pelo prazer de receber lições de comportamento humano, mas em todos eles isso faz parte do show e é importantíssimo para o desenvolver da narrativa. Em Damned vemos isso claramente em praticamente todos os momentos do episódio. Toda conversa envolvendo Jesus, Tara, Morgan, Carol, Ezequiel, na atitude de Rick até seu surpreendente encontro com aquele personagem aparentemente insignificante da primeira temporada.

*Contém Spoilers

Nesse episódio vimos a continuação da ação de Rick e seus aliados contra os Salvadores. Agora não mais em conjunto e no QG de Negan, mas separados em quatro grupos distintos. O primeiro grupo a aparecer é o de Aaron contra um grupo de Salvadores que está ali (não me perguntem ali aonde, pois não faço a menor ideia), limpando e preparando armas. O grupo de Negan, liderado por uma mulher estão avançando, crentes que o rival é covarde por não os atacarem de frente, quando, tarde demais percebem que a tática era justamente essa, deixá-los avançar até o ponto que alguns de seus amigos mortos no combate voltassem a vida sedentos por cérebros. Pateticamente a “líder” do grupo morre mordida por um amigo que fungava morte em seu cangote, mas o lado de Aaron também teve uma baixa bastante significativa, talvez não tanto para nós, mas para Aaron sim, que vê seu querido baleado no estômago e sabe que ali é o fim para alguém que por tanto tempo esteve ao seu lado.

Outro grupo está avançando e sendo liderado por Jesus, Tara e Morgan. Aqui as desavenças morais são grandes. Tara está com sangue nos olhos, Jesus quer dar uma de Jesus literalmente e salvar todas as pobres almas e Morgan está numa espécie de revista em quadrinhos se sentindo um super homem. Só que aí é que está, seguir Jesus e salvar todos aqueles que podem até render mais soldados no futuro, ou resolver a parada já? Salvar e transportar seguramente aqueles “prisioneiros”, como? Tamos aí na espera, brother Jesus.

Num canto de floresta estão Carol, Ezequiel e alguns membros do Reino. Aparentemente estão indo surpreender/capturar/matar(?) alguém que em momento algum fica claro quem seria essa pessoa. A única certeza ali é que Ezequiel adora Carol e está tentando ensinar a ela algumas lições de vida. Mesmo nossa querida Carol já tendo passado por tanta coisa, nas quais a maioria delas acompanhamos, ela está precisando mesmo de alguém como Ezequiel ao seu lado. Algumas dicas de como levar essa nova vida sem pirar mas de certa forma já pirando.

E por último temos Rick e Daryl tentando achar algumas armas em um lugar que alguém supostamente os indicou – Dwight, talvez? Bom, eles obviamente se separam e pouco vemos Daryl, mas Rick aparece e em praticamente todas as cenas podemos questionar sua liderança. O xerife mais parece um membro qualquer que meteu as caras nessa guerra contra Negan do que aquele cara que enfrentou a traição do melhor amigo, morte da mulher, criou dois filhos sozinhos, sendo um deles um bebê em meio ao caos generalizado e tudo isso sem falar da grande batalha contra O Governador. Toda vez que Rick aparece ele parece tentar, sem muito sucesso, resgatar esse espírito de liderança. Talvez o líder já esteja cansado e as palavras dele para Maggie no primeiro episódio, nos mostram isso de alguma forma. Seja como for, Rick está vasculhando salas e o mais importante aqui é:

1 – Não achou nenhuma arma até o momento e sofreu para lutar com um homem aleatório;

2 – Encontrou uma linda bebezinha chamada Gracie;

3 – Acabou com uma arma apontada para sua cabeça por um antigo conhecido: Morales. Lembram dele? É, praticamente ninguém se lembra. Morales esteve no grupo com Rick na primeira temporada em Atlanta e seguiram rumos diferentes. Uma parte foi para o CDC, Morales pegou sua esposa e filhos e foi para Birmingham;

Foi isso que vimos. As perguntas crescem absurdamente, assim como o medo do seriado desandar com essa decisão de desmembrar os grupos e com isso diluir o drama. Algumas ações caóticas e o blablabla de Jesus que coloca todos numa situação arriscada e pode levar um personagem que estava crescendo bem num ciclo igual ao que Morgan viveu (lembra de Morgan e os Lobos?) e foi um saquinho completo. Foi um bom episódio, mas merecemos e queremos muito mais.

Notinhas

  • A pergunta que não quer calar é porque diabos resolveram trazer um personagem tão insignificante da primeira temporada a tona? Lógico que esperamos que ele seja importante para a trama e gostamos de ver o que aconteceu com algumas pessoas, mas a escolha é no mínimo intrigante, afinal, Morales apareceu apenas em quatro episódios da primeira temporada e não teve nenhum momento tão significativo com Rick. Porém o que vemos é um cara que parece odiar Rick por algo que ele fez lá no passado.
  • Quem foi Morales? Segundo a Forbes, Morales apareceu em quatro episódios. Ele não teve nenhuma rusga com Rick, apenas resolveu seguir um caminho diferente com sua família, onde Rick respeitou sua decisão, deu algumas provisões e bye bye no hard feelings. Então a curiosidade sobre o porquê desse aparente ódio de Rick só aumenta. Aparentemente o ator que interpreta Morales não fez muita surpresa sobre sua volta no seriado, ele até publicou a hashtag #MoralesLives em alguma rede social antes do episódio ir ao ar. Algumas teorias para essa hashtag foram levantadas: primeiro que o ator gostaria de retornar, segundo que ele faria uma participação em Fear The Walking Dead num crossover de um personagem que havia sido anunciado e a terceira, que foi a que se concretizou é que ele realmente voltaria à série e não teria guardado segredo. Seja como for, nos resta esperar para saber qual será sua importância nessa oitava temporada.

Deixe uma resposta

Please use your real name instead of you company name or keyword spam.