Top 6 Botom 3 – Melhores e piores séries de 2016

Esse é sempre um dos posts mais difíceis de escrever. São tantas coisas boas e ruins, tantas menções, que fica realmente complicado sintetizar tudo em 6 melhores e 3 piores. Ao mesmo tempo que fica humanamente impossível acompanhar e escrever sobre todas as séries. Então se faz necessário eleger apenas algumas boas e aquelas que deixaram muito a desejar. Viu como é complicado? Então, sem mais delongas, vamos logo ao que chamou a atenção. Já aviso que assim como os mamilos, essa lista tende a ser polêmica.

Top 6

6 – Making a Murderer

Sabemos que a série foi lançada em 2015, porém, ela estreou no finalzinho do ano (18 de dezembro pra ser mais exata), então, não tinha como entrar na lista do ano passado. Ela foge também do padrão normal de um seriado, pois é um documentário série. Merece entrar na lista, pois o caso verídico relatado no documentário mexeu com todos, não se falava em outra coisa em janeiro. Além de ter sido muito bem produzida.

5 – Good Behavior

Essa foi uma série que comecei de maneira despretensiosa e foi uma agradável surpresa. A série traz uma ladra trambiqueira, que após sair da prisão quer andar na linha para conseguir a guarda de seu filho de dez anos que vive com sua mãe, ou pelo menos o direito de visitá-lo. Pra isso, ela tem que visitar seu oficial de condicional, outro que não regula muito bem, mas gosta de Letty e quer ajudá-la. Aliás, só tem desajustado na vida da moça e por mais que ela tente fazer tudo certo, acaba sempre se metendo em encrenca. E foi assim que ela conhece um matador de aluguel, com quem manterá uma relação complexa e conturbada de amor e ódio. A série é um misto de drama, crime, mistério e que sempre te faz torcer pela pessoa “errada”.

4 – Designated Survivor

Outra novidade que não estreou com pompas e glamour, mas surpreende muito positivamente. A série é viciante, uma espécie de 24 horas política. Kiefer Sutherland dessa vez não é um agente federal tentando salvar os Estados Unidos, dessa vez ele é o presidente. Após um mega atentado terrorista, Tom Kirkman, que era um ministro qualquer, sem muito valor, se torna o presidente americano. Ele luta contra a falta de experiência, contra os demais políticos que não o acham apto para a função, luta para convencer a população e especialmente, luta contra os terroristas, que não estão só do lado de fora, mas infiltrados dentro da Casa Branca. O seriado começa num ritmo médio e vai ficando frenético, assim como a ansiedade pelo próximo episódio.

3 – Westworld

Se a HBO queria um grande história, conseguiram com Westworld. O drama tem tudo para conseguir muitas estatuetas no Emmy. O drama/mistério/sci-fi é bastante complexo e tem ótimos atores, tais como: Anthony Hopkins, Evan Rache Wood, James Marsden, Jeffrey Wright, Ed Harris e até o brasileiro Rodrigo Santoro. Em alguns momentos o seriado é denso demais, sendo até um pouco cansativo, mas a história é muito interessante e pode render muito. Andam dizendo por aí que é o novo Lost, bem, espero que não se perca.

2 – Gilmore Girls: Um ano para recordar

Gilmore Girls acabou e deixou uma legião de fãs mortos de saudades. E para alegria geral o Netflix resolveu trazer a série de volta para mais quatro emocionantes, maravilhosos e apaixonantes episódios. O revival é simplesmente sensacional, praticamente todos os personagens marcantes estão nele. Você assiste e te traz a tona todos os sentimentos que te acompanharam ao longo das sete temporadas e isso nove anos depois. Parece que nem tinha acabado a tanto tempo, parece que foi apenas um hiato de tão afinados que os personagens estavam. Gilmore Girls: Um ano para recordar, foi tão boa, que merece um post só pra ela e terá.

1 – Stranger Things

O seriado merece o primeiro lugar nos top 10, pelo simples fato de ter conseguido agradar um geração saudosista e também as gerações mais novas e tudo isso com um seriado simples, mas bem feito e com atuações cativantes. Os atores mirins são extremamente fofos e competentes, Winona Ryder está muito bem em seu papel de mãe solteira meio desajustada e a reconstrução do clima dos anos 80 está simplesmente perfeito. A missão de criar uma série que remetesse completamente aos antigos filmes e seriados que abraçaram os anos 80 foi totalmente cumprida com sucesso.

Botom 3

3 – Vinyl

A atração sobre a cena musical de Nova Iorque nos anos 70, que tinha como produtores-executivos o cineasta Martin Scorsese e o músico Mick Jagger, não correspondeu às expectativas do público. A audiência foi baixa e a repercussão da mídia negativa. Tudo isso, porque fizeram um esforço e investimento enorme em marketing e esqueceram de colocar todo esse esforço no seriado. Talvez até tenham colocado, mas se perderam ao longo do caminho. O assunto abordado é de primeira, o protagonista é ótimo, mas algo ali saiu dos eixos e deixou o público desinteressado. Triste, tinha tudo para ser uma das melhores do ano.

 

2 – Supermax

Apostei no seriado, embora com aquele medinho de fazerem lambança. E fizeram. Séries nacionais raramente abordam a temática terror e essa veio cheia de nomes de peso com uma premissa bem interessante, que infelizmente se perdeu após o terceiro episódio e depois disso foi só ladeira abaixo. A história fica perdida e sem sentido. O cenário mau aproveitado, cenas desconexas, um furo atrás do outro. Não foi dessa vez que tivemos um bom seriado nacional de terror, quem sabe o próximo.

1 – Damien

Por onde começar? Foi tão fraco desde o começo que fica até difícil achar alguma coisa pra defender. Era pra ser um anti-herói sensacional e ficou só no desejo.

Notinhas

  • Procuro sempre colocar séries que estrearam no ano vigente e por esse motivo e apenas por esse séries magníficas, como: Game of Thrones, Demolidor, Jessica Jones, Better Call Saul e muitas outras não entraram na lista das melhores. Óbvio que merecem, mas esse ano, temos só as novatas;
  • The Walking Dead, embora seja uma série adorada pelo Sem Piruá e público, está abusando na encheção de linguiça em sua narrativa. São muitos episódios com cenas e diálogos monótonos e desinteressantes para no final correr com tudo de interessante que tem que acontecer. Continua sendo boa e queridinha, mas é bom os produtores não vacilarem muito;
  • Gosto muito das séries britânicas e sempre tento colocar alguma indicação. Infelizmente esse ano ficarei devendo, mas, em breve teremos novidades 😉

Deixe uma resposta

Please use your real name instead of you company name or keyword spam.