The Walking Dead – Bloodletting (s02e02)


Antes da resenha do episódio dessa semana, uma ótima notícia: The Walking Dead foi renovada para a terceira temporada o/

*Contém Spoiler

 

 

 

O episódio Bloodletting (s02e02), inicia com um flashback de Lori, conversando com  uma amiga na porta do colégio enquanto espera seu filho sair, no dia que Rick tomou um tiro. Vimos todo o descontentamento de Lori com relação ao seu casamento, o momento em que Shane chega para dar a notícia do acidente do marido e prestando atenção, percebemos o olhar, já apaixonado, de Shane por Lori. O amigo podia respeitar muito seu companheiro de profissão e o casinho ter se iniciado somente depois da invasão zumbi, mas que ele já tinha interesse pela mulher do amigo, isso ele tinha. Coisa aliás que muito me intriga, afinal, não vejo a mínima graça nessa mulher, pelo contrário, a acho sem graça e chatinha. Voltando ao episódio, até o momento deu pra perceber que essa temporada está focando muito mais os dramas individuais dos personagens, se dedica a relatar seus históricos e como chegaram até ali.

A segunda temporada tem sido bem mais suave em termos de ação, mas isso não significa que a série esteja mais chata, de forma alguma. Isso na verdade é bem importante para o desenrolar e até mesmo para a duração do seriado. Afinal não teria muito sentido assistir só para ver ataque de zumbi, uma hora isso iria se tornar sem significado, cansativo e com curtíssima duração.

O segundo episódio nos apresentou novos personagens, os moradores da fazenda, que podem e devem se tornar muito importantes futuramente. Porque o grupo atual está em crise, não só como grupo, mas como pessoas. T-Dog no meio de sua alucinação por conta da febre, mostrou sua preocupação em ser o mais fraco juntamente com Dale -que apesar de realmente ser um elo fraco,  não se sente assim. Daryl está mais manso, mas continua com ótimas sacadas. Direto e reto, isso é algo que me agrada nele. Andrea continua se fazendo de forte, mas na hora que o zumbi aparece ela se descontrola toda e precisa da ajuda dos outros, sem contar a raiva que ela está do Dale por não a ter deixado se suicidar. Shane está cansado de ser sombra do Rick e já mostrou no primeiro episódio que pretende ser mais independente. E por último, mas não menos importante, temos o coreano Glenn, que teve bastante relevância na primeira temporada e até então mal tinha sido mostrado. Ele está cansado de ser da linha de frente, de sempre sobrar com as tarefas ingratas e deixou isso bem claro na conversa com Dale, quando ele o manda pegar o carro e ir para a fazenda.

Mas para não decepcionar os fãs, o final novamente foi tenso e dessa vez repleto de zumbis. Como será que eles vão escapar dessa? Lógico que eles vão, resta saber como. Com certeza será emocionante. 😉

 

Notinhas:

Lori dando piti quando ficou sabendo que o médico na verdade era um veterinário foi ridículo. O homem está sendo extremamente prestativo, fazendo o melhor que pode, nem por um momento hesitou em ajudar seu filho e ela desmerecendo seus méritos. Não está satisfeita, sinta-se a vontade para arrumar um cirurgião melhor e mais famoso. Infelizmente esse veterinário é o máximo que seu plano de saúde “pode estar cobrindo” no momento;

Daryl falando para Carol que rezar não ia salvar ninguém e agir sim. Foi sensacional. Numa situação dessas é cômodo não fazer nada, ficar só rezando e culpar uma entidade por suas falhas e seus problemas;

O desespero de Rick, correndo com os filhos nos braços, foi comovente. Dava para sentir até o peso do filho moribundo, fora o cansaço e preocupação quando o garoto está acamado. Ótima atuação;

A sobriedade e sabedoria do veterinário Hershel me agradaram. A conversa dele com o Rick foi bem legal;

E a garotinha Sophia? Continua desaparecida e não sabemos se viva ou morta ou ambos. Vamos acompanhar.

 

Deixe uma resposta

Please use your real name instead of you company name or keyword spam.