IRON FIST

A quarta série da parceria Marvel-Netflix, finalmente foi ao ar. Danny Rand, o Iron Fist, é o quarto Defensor a ser apresentado e se juntará a Demolidor, Jessica Jones e Luke Cage no supergrupo, Defensores, em série a ser lançada ainda em 2017 pela Netflix.

Iron Fist é interpretado por Finn Jones (o irmão de Margeary Tyrell em Game of Thrones) e mostra o retorno para a sociedade de um homem que foi resgatado por monges, quando garoto, depois do avião que estava sua família, cair no Himalaia.

Os monges treinaram Danny Rand em artes marciais e ele conseguiu invocar os poderes do Punho-de-Ferro, que o faz ficar com o seu punho quase indestrutível, quando consegue invocar tal entidade.

POUCOS SPOILERS!

A série segue a linha mística da Marvel iniciada por Dr. Estranho no cinema, mas peca em vários aspectos fundamentais para o seu sucesso.

Finn Jones, por mais esforçado que seja não consegue passar credibilidade e carisma ao personagem. Qualidades que todos os outros Defensores tiveram em suas respectivas séries.

Por ser uma série envolvendo artes marciais, esperavam-se lutas bem arquitetadas e episódios elétricos, que não aconteceram. A série se arrasta em vários episódios, que poderiam muito bem ser condensados em um único episódio.

Danny volta à sociedade para reivindicar seu lugar na empresa de seu pai, a Rand Enterprise. A empresa é agora controlada pelos irmãos Meachum, Ward (Tom Pelphrey) e Joy (Jessica Stroup), que a herdaram, depois da suposta morte do último dos sócios, Harold Meachum (David Wenham).

A partir daí, é uma briga pelo poder em que, até o final dos 13 episódios, mocinho vira bandido, bandido vira mocinho, pessoa que está morta, está viva e quando ela morre “novamente”, ela ressuscita, enfim, uma bagunça de roteiro só.

O papel do vilão mor, fica a cargo da Madame Gao (Wai Ching Ho), já bem introduzida em Demolidor, sendo que em Iron Fist ela faz parte do Tentáculo, a facção criminosa chinesa.

Destaques positivos ficam para a interpretação de Jessica Henwick (outra atriz oriunda de Game of Thrones), no papel de Colleen Wing, parceira de Rand nas horas mais críticas e para as sempre aparições de Rosario Dawson como Claire Temple, que será o elo de ligação entre todos os Defensores.

Outra ligação entre eles é aparição da advogada Jeri Hogarth (Carrie-Anne Moss, a Trinity de Matrix), que defende Danny nas enrascadas judiciais que ele passa no seu retorno.

Sabíamos que uma hora a Netflix ia nos entregar alguma série Marvel não tão boa e a comparação com as outras séries já lançadas chega a ser brutal, tamanha qualidade delas, mas cabe agora aguardarmos as próximas séries da parceria, esperando um resultado muito melhor.

Notinhas

– Stan Lee? Sim, procure que ele aparece novamente!

– Danny Rand ficou no Himalaia por quase duas décadas, mas mesmo assim sabe usar todos aparelhos eletrônicos, dirigir, etc etc…como assim? Sabemos que o curto tempo da série não daria para ficar focando em coisas desse tipo ou mesmo mostrando como Danny é treinado, mas um pouco de capricho cairia bem.

– Claire Temple é a pessoa mais azarada do mundo…só encontra pessoas com problemas e super poderes hahaha (será que é mais azarada que Jack Bauer e seus dias inacabáveis?).

Deixe uma resposta

Please use your real name instead of you company name or keyword spam.