666 Park Avenue – Murmurations (s01e02)

Parece que o pessoal de 666 é super fã de Alfred Hitchcock, as referências são óbvias para os admiradores do mestre do suspense. Primeiro tivemos o escritor em sua “Janela Indiscreta” e depois os “Pássaros“. Apesar de não terem conseguido criar o suspense e a emoção que só Hitchcock consegue em coisas tão corriqueiras, valeu a intenção. É sempre bom saber que existe gente de bom gosto por trás de um seriado que está apenas começando.

*Contém Spoilers

No piloto a morte de John Barlow não foi muito bem explicada. Vimos que Gavin queria que ele matasse alguém para poder ficar com sua falecida esposa, mas não foi especificado quem deveria ser essa pessoa. Se Gavin iria escolher ou se apenas o derramamento de sangue era o suficiente. Em Murmurations isso fica bem claro, quando Gavin usa Danielle para satisfazer sua necessidade, que era a morte de alguém que tentou passá-lo para trás. Aliás o lance da eterna apaixonada abandonada e descompensada Danielle se olhar no espelho e descobrirmos que ela na verdade é bem velha, lembra muito a história do Retrato de Dorian Gray. Mas com a grande diferença é que ele guardava o espelho no sótão e Danielle mata homens. Ela continua jovem e bonita, assim como Dorian. Talvez eu seja fuzilada pelos fãs de  Oscar Wilde, mas vamos com calma gente, foi só uma lembrança, uma referência, um fato interessante, não estou comparando as histórias.

E continuando nas referências, tivemos os pássaros atropelando Jane, invadindo o quarto e depois embelezando o céu de Manhattan. Obviamente ela achou aquilo estranhíssimo, resolveu mexer no ninho e quem acabou se dando mal foi o coitado do exterminador. Fica claro que ela não queria somente acabar com os pássaros e sim descobrir o que havia por detrás daquela misteriosa parede erguida no porão. Ela viu a oportunidade quando descobriu que o duto ia do porão ao telhado. Sem perder tempo e nem querendo saber dos conselhos de Nonna, a misteriosa/vidente ladra de objetos, e nem do próprio exterminador, ela coloca a parede abaixo.

Enquanto isso, Gavin testa o caráter de Henry, que passa com louvor. É bom Jane começar a prestar atenção no seu companheiro também, senão o futuro marido pode se tornar futuro ex marido. Tudo corre tranquilamente dentro do edifício Drake, Danielle cumpre seu papel de assassina, Henry passa nos testes mirabolantes de Gavin sem saber, o escritor é tentado e testado por sua musa inspiradora, a vizinha da janela da frente, e Jane acaba o episódio dentro de um quarto misterioso no porão e com a porta se fechando. Um dia básico em Upper East Side.

O seriado ainda não me convenceu de que veio pra ficar, mas é gostoso de assistir 😉

 

Notinhas

– Aquele exterminador parecia que tinha saído do filme o Massacre da Serra Elétrica;

– Será que Nonna é também mais velha do que aparenta? Afinal, se foi ela que deixou aquele jornal de 1956, pode ser, né? O que será que tem na água desse prédio?

– O porteiro do prédio é todo mau humorado e engraçadinho. Será que ele não percebe por que ele não foi colocado no lugar de gerente? Mas eu gosto dele 🙂

Deixe uma resposta

Please use your real name instead of you company name or keyword spam.