Train to Busan. Afinal zumbi não é só americano

Outro dia, conversando com o amigo Marcos Toshiro (nosso representante Marvel/Super heróis daqui do site) sobre o seriado sul coreano – que indiquei aqui no Sem Piruá – Stranger e sabendo que gosto muito de zumbis, me falou sobre um filme nessa temática o Train to Busan (Invasão Zumbi). Rapidamente fui atrás para assistir e vir aqui contar pra vocês sobre e se vale a pena assistir.

Os filmes asiáticos de terror geralmente são bem assustadores, mas esse é um filme de zumbi e zumbis não são os seres mais assustadores do mundo, certo? Apesar de não serem assustadores, eles tendem a ser bem nojentos e possuir características bastante mutáveis, dependendo de quem os idealizou. Nesse caso, temos zumbis que se transformam rapidamente e eles são incrivelmente ágeis. Então, esqueça aquela morosidade dos zumbis do mestre Romero. E para piorar ainda mais a situação o cenário é um trem em movimento. Então imagine você, se um outbreak numa cidade, onde existe maior amplitude de locomoção e pontos para se esconder a coisa já fica bem complicada, imagine num trem. Ambiente fechado, apertado, sem rota de fuga e com bastante pessoas. Entre elas idosos, uma grávida e uma criança. Só de pensar já dá pra rolar um princípio de crise de ansiedade.

Os personagens principais são um pai e sua filha de aproximadamente sete anos. Filha de pais separados, ela faz aniversário e quer ir pra Busan visitar sua mãe. Seu pai é um executivo que trabalha muito, tenta suprir algumas ausências com presentes, falhando miseravelmente, claro. Então ele decide se redimir e levar sua pequena para visitar sua ex. No caminho da estação, são vistos diversos caminhões do corpo de bombeiros. Sabemos o que isso significa, não é mesmo amiguinhos? Segundos antes do trem partir uma moça cambaleante entra sem ser vista pelo fiscal. Ela se tranca no banheiro de um dos vagões e percebe-se que ela está infectada. A partir daí começa a saga pela sobrevivência.

Exceto pelo cenário, o filme não difere muito da maioria das histórias de pré apocalipse. A trama é bem contada, a fotografia é muito boa e os atores representam muito bem. A maquiagem dos zumbis são perfeitas e eles são de realmente dar medo. Train to Busan é divertido e bastante triste, também. Daqueles que você acaba querendo que as coisas dêem certo para determinados personagens. Não tem nenhum herói óbvio, daqueles que você sabe que com certeza sobrevive no final e que em alguns casos a gente até torce pra se dar mal de tão óbvio que é sua sobrevivência.

Notinhas

  • Soo-an, a garotinha que quer visitar a mãe é a coisa mais fofa. Chega a dar vontade de entrar no filme para defende-la dos zumbis;
  • É engraçado como os coreanos conseguem expressar tanto com tão pouca expressão facial, gestos ou palavras. A cultura asiática é bem diferente da nossa e é fascinante;
  • Esse filme não me deixou com vontade de comer lamen só porque não aparece ninguém comendo, se aparecesse, certeza que ia cozinhar um miojão – eu sei;
  • Já contei para vocês que sou apaixonada por trem?

Deixe uma resposta

Please use your real name instead of you company name or keyword spam.