A história do Facebook – A Rede Social

*Contém Spoiler


The Social Network (A Rede Social), conta um pouco a história da fundação do site Facebook. Aaron Sorkin, roterista do filme, se baseou no livro The Accidental Billionaires, de Ben Mezrich. Ninguém do site esteve ligado diretamente as gravações do filme, mas um dos co-fundadores, Eduardo Saverin deu consultoria ao autor do livro.

O filme possui como pano de fundo a Universidade Harvard e seus estudantes. Lá o estudante Mark Zuckerberg, com a ajuda do algoritmo do amigo Eduardo,  após uma discussão com sua ex namorada, cria uma página interativa. A página contém fotos de diversas garotas do campus e os estudantes podem fazer um ranking das mais atraentes. Essa brincadeira dá tão certo que o servidor da universidade acaba caindo, de tantos acessos.

Pouco tempo depois, a história ainda rende e ele acaba tendo a idéia de criar um outro site, onde os estudantes pudesse compartilhar interesses, colocar fotos, se conhecer melhor, afinal isso é uma das coisas que todo universitário mais deseja. Então com a ajuda dos amigos de classe, Eduardo, Dustin Moskovitz e Chris Hughes o Facebook nasce.

O filme obviamente não é totalmente fiel a história. Como já relatado, ele não contou com a participação dos fundadores, portanto ele apenas nos dá a idéia de como surgiu algo que atualmente é tão famoso no mundo inteiro e vale bilhões de dólares. O próprio Mark Zuckerberg disse em entrevista a Diane Sawyer da ABC que o filme é ficção, apenas uma distração e que a história real talvez não seria tão legal. The Social Network é realmente isso, apenas uma visão de como foi criado o site, apenas uma história com parte de verdade. Isso não desvaloriza o filme, apenas deve ser assistido com certo discernimento. E não elevá-lo ao status de verdade absoluta sobre a empresa.

O mais importante não é somente conhecer a vida de quem criou o site, mas sim aprender a valorizar o que temos de potencial. Nem sempre uma boa idéia surge a fim de gerar lucros, esses podem ser consequências. A lição mais importante que o filme nos traz é justamente aprender a nos valorizar, a não menosprezar o potencial que temos. E que se futuramente essa idéia, esse talento gerar reconhecimento, seja ele pessoal ou financeiro, não existe nada de errado com isso, pelo contrário.

Filme bom, pode ser inspirador dependendo do ponto de vista de quem o assiste. Recomendo.

Notinhas:

Assisti ao filme com uma expectativa muito grande e me decepcionei um pouco. Achei o filme bom, só não conseguiu atingir minhas altas expectativas;

Como o filme foi baseado em um livro, que contou com a consultoria de apenas um dos fundadodes, acredito que ele seja um pouco parcial. Serial legal ver a história de outros ângulos;

Sou suspeita para falar dos “computeiros”, afinal sou fã da profissão e dos profissionais. Gostaria muito de saber programar 🙂

Deixe uma resposta

Please use your real name instead of you company name or keyword spam.